Category: consumo consciente

aceita um desafio?

don't buy anything you've ever seen advertised

“não compre nada que você já tenha visto anunciado”

há alguns anos, vi a imagem acima e topei o desafio: resolvi me policiar na hora de fazer as compras e evitar, ao máximo, comprar coisas de que eu já tivesse visto algum tipo de propaganda. parece bobeira, revoltinha de adolescente, né? mas aos poucos fui percebendo que fazia sentido – e muito.

lembro que na época, muitas vezes, eu acabava comprando produtos de marcas mais conhecidas, justamente porque tinha visto propaganda ou porque a embalagem era mais bonita. é, acho que a maior parte das pessoas cai nesses truques cuidadosamente planejados nos departamentos de marketing das empresas. quando tomei a decisão de tentar não comprar coisas anunciadas, tive um pouco de resistência em escolher, por exemplo, aquela batata-palha com um nome meio tosco, uma marquinha feia, a impressão meio torta na embalagem. mas nesse primeiro momento, vi uma grande vantagem pra mim: esses produtos são, geralmente, mais baratos que seus concorrentes famosos. e a qualidade nem é tão diferente assim.

depois de passado esse estranhamento, passei a perceber que estava comprando menos de grandes empresas multinacionais e mais coisas feitas por pequenas empresas com sede ou fábrica em bh e cidades próximas. outra vantagem e, dessa vez, não só para mim. comprar do produtor local e pouco conhecido é bom porque:

  • os produtos costumam ser mais baratos, já que o custo com transporte é menor e a empresa não gasta milhões em anúncios caros;
  • de acordo com o sebrae, as pequenas empresas são as que mais geram empregos no brasil, sendo responsáveis por cerca de 52% dos empregos formais;
  • ainda segundo o sebrae, ao fortalecer os negócios locais, movimenta-se o comércio e promove-se o desenvolvimento social local;
  • diminui o impacto ambiental, porque as mercadorias percorrem distâncias menores até chegar ao consumidor, reduzindo a emissão de poluição.

pra mim, no começo foi mesmo uma provocação – eu não sabia que era tão comandada pela publicidade. mas depois de um tempo, evitar comprar produtos anunciados se tornou um ótimo hábito: pro meu bolso, pras pessoas empregadas, pra minha região e pro meio ambiente.

e você, aceita o desafio?

15 de outubro: dia do consumo consciente

há pouco tempo, fiquei sabendo que existia um dia do consumo consciente no brasil. eu já tinha resolvido voltar a blogar e achei a data perfeita pra colocar o desconsumida no ar.

embora a expressão “consumo consciente” seja facilmente utilizada pra empurrar mais tralha pra cima da gente, a verdade é que é, sim, fundamental (para nós, para os outros e para o planeta) que façamos nossas escolhas de consumo a partir da consciência de todo processo produtivo envolvido em cada coisinha que resolvemos consumir. e isso inclui também o descarte.

de acordo com uma pesquisa realizada pelo ministério do meio ambiente em 2012, dois terços dos brasileiros não conhecem a expressão “consumo consciente”. é muita gente! mas podemos pensar também que nesses dois terços existem aqueles que adotam práticas conscientes de consumo, ainda que não saibam que há um nome para isso. vamos torcer.

consumir de forma consciente é procurar se informar e fazer escolhas responsáveis, pesando prós e contras na hora das compras. afinal, para que qualquer mercadoria chegue às lojas e esteja só a um cartão de plástico de distância de nossas mãos, muita coisa precisa acontecer, e nem sempre são coisas legais e bonitas de se ver.

o ministério do meio ambiente define o consumidor consciente como “aquele que leva em conta, ao escolher os produtos que compra, o meio ambiente, a saúde humana e animal, as relações justas de trabalho, além de questões como preço e marca“.

falando assim, pode até dar a impressão de que é impossível encontrar alguma coisa que se encaixe nesses pré-requisitos, né? mas é bom saber que temos opções, que existem alternativas disponíveis pra (quase) tudo. aos poucos vou colocar aqui no blog algumas coisas que tenho pesquisado sobre isso.

na verdade, é bem simples: consumo consciente é menos consumo! e não tem sofrimento nenhum nisso, é só uma questão de hábito :)

© 2017 desconsumida

Theme by Anders NorenUp ↑