don't buy anything you've ever seen advertised

“não compre nada que você já tenha visto anunciado”

há alguns anos, vi a imagem acima e topei o desafio: resolvi me policiar na hora de fazer as compras e evitar, ao máximo, comprar coisas de que eu já tivesse visto algum tipo de propaganda. parece bobeira, revoltinha de adolescente, né? mas aos poucos fui percebendo que fazia sentido – e muito.

lembro que na época, muitas vezes, eu acabava comprando produtos de marcas mais conhecidas, justamente porque tinha visto propaganda ou porque a embalagem era mais bonita. é, acho que a maior parte das pessoas cai nesses truques cuidadosamente planejados nos departamentos de marketing das empresas. quando tomei a decisão de tentar não comprar coisas anunciadas, tive um pouco de resistência em escolher, por exemplo, aquela batata-palha com um nome meio tosco, uma marquinha feia, a impressão meio torta na embalagem. mas nesse primeiro momento, vi uma grande vantagem pra mim: esses produtos são, geralmente, mais baratos que seus concorrentes famosos. e a qualidade nem é tão diferente assim.

depois de passado esse estranhamento, passei a perceber que estava comprando menos de grandes empresas multinacionais e mais coisas feitas por pequenas empresas com sede ou fábrica em bh e cidades próximas. outra vantagem e, dessa vez, não só para mim. comprar do produtor local e pouco conhecido é bom porque:

  • os produtos costumam ser mais baratos, já que o custo com transporte é menor e a empresa não gasta milhões em anúncios caros;
  • de acordo com o sebrae, as pequenas empresas são as que mais geram empregos no brasil, sendo responsáveis por cerca de 52% dos empregos formais;
  • ainda segundo o sebrae, ao fortalecer os negócios locais, movimenta-se o comércio e promove-se o desenvolvimento social local;
  • diminui o impacto ambiental, porque as mercadorias percorrem distâncias menores até chegar ao consumidor, reduzindo a emissão de poluição.

pra mim, no começo foi mesmo uma provocação – eu não sabia que era tão comandada pela publicidade. mas depois de um tempo, evitar comprar produtos anunciados se tornou um ótimo hábito: pro meu bolso, pras pessoas empregadas, pra minha região e pro meio ambiente.

e você, aceita o desafio?